sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

"Sentir..."


Demorei-me a recordar e a agradecer.
Viajar no tempo, mais recente ou mais antigo, pode ser um excelente exercício de aprendizagem do valor inigualável da gratidão. Pode ser uma razão mais que forte e fundamentada para nos deixarmos maravilhar sempre mais pelo dom da cumplicidade e dos sonhos que fortalecem os laços do coração...
Demorei-me a tentar visualizar espaços, palavras, silêncios, mensagens, sorrisos, lágrimas, sonhos, desejos, medos, esperanças, expectativas, abraços, encontros, desencontros, olhares...
Demorei-me, por isso, a louvar e a agradecer tamanho dom que é "tocar", "pulsar", "sentir", "viver", o amor que pode existir e coexistir naqueles que se cruzam connosco e escrevem, connosco, a história da nossa própria vida.
E o coração fica cheio. E a alma enobrece-se. E a vontade de sonhar e de nos tornarmos sempre mais cúmplices dessa "aventura" do amor cresce desmesuradamente. Porque nos apercebemos, com facilidade, da beleza e da pureza capazes de moldar, progressivamente, o coração de cada outro.
Sabe bem sentirmo-nos responsáveis pela felicidade dos outros. Tornamo-nos história e vida da vida e da história desse outro. E ele da nossa. Sem deixarmos de ser nós mesmos. Mas enriquecidos, sobremaneira, da riqueza desse outro. E a riqueza maior é partilhar do sentir do coração...
O brilho nos olhos de quem ama de verdade, torna-se luz no nosso próprio caminhar.
Os sonhos de quem se deixa guiar pela força do coração, transformam-se em rotas do nosso próprio peregrinar.
Os sorrisos espontâneos e puros de quem se sente e se sabe apaixonado, alimentam a nossa vontade de nos entregarmos à cumplicidade dos corações.
Na verdade, como um "simples" olhar pode significar tanto?!
Como umas mãos dadas nos revelam a união dos sonhos e dos corações!
Como uns sorrisos sinceros nos apontam tão claramente que o nosso destino é o amor!
Como um abraço verdadeiro nos garante a força e a eternidade de um sentimento!
Como um silêncio pode dizer muito, tanto, tudo!
Como uma palavra, uma só palavra, pode conter um dicionário inteiro!
Demorei-me a recordar momentos que fazem a vossa história e, por isso, a minha história.
Demorei-me a viajar na memória porque sabia que o coração palpitaria com outro pulsar.
E quero, dia após dia, ser discreto companheiro de viagem, mão que se pode e quer oferecer, coração que saiba acolher e sonhar, alma e vida que se completam porque entrecruzadas com as vossas...
Porque o vosso sorriso me faz sorrir.
Porque o vosso amor me faz acreditar que caminho na direcção certa e o destino que busco é o Coração de Deus, ou seja, o Amor definitivo que se vai traduzindo e revelando na fragilidade e beleza do amor humano.

17 comentários:

  1. "Sentir"
    Padre António
    Li e voltei a ler e disse para mim mesmo,que vou eu escrever? se o texto diz tudo,não é fácil...
    Deus deu-nos o Dom da vida e nela nos mostrou com a vinda do SEU Filho muito amado, o Amor,o Amor abnegado,simples,preocupado,ou seja os sentimentos que vamos nutrindo ao longo da nossa vida com quem nos vamos cruzando, e é esse amor que nos faz viver,transformar,cuidar,e tanta coisa quando tudo é feito do coração.
    São sentimentos difíceis de explicar, quando se vive em função do que se sente,porquê? que nós conhecemos uma pessoa uma vida inteira e não conseguimos sentir afinidade,e outras conhecemos de pouco tempo e surge uma amizade forte e profunda como se a vida inteira já nos tivéssemos conhecido...` os desígnios de DEUS são infindáveis,e nós só temos de viver no SEU amor.
    Padre António seja sempre assim,o «Pastor» de quem nós gostamos,com quem nós contamos,com muito amor no coração, por todos nós,e nós por SI,em tudo o que precisar e esteja ao nosso alcance,e que o SENHOR O proteja.
    Bem Haja,um bom dia e um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  2. Fico sempre maravilhado com estes textos do Pe. António. Eles falam da grandeza do seu coração de pastor. Textos que lidos e relidos com atenção nos revelam a alma que possui, os sonhos que acalenta, os desejos que alimenta, a pessoa que é profundamente.
    Apenas temos de agradecer. Porque nos desafia sempre a amar mais, a olhar a beleza dos nossos corações, a sentir a força que podemos ter no nosso dia a dia.
    Peço a Deus que tenha sempre força e coragem para partilhar o seu sentir apesar de saber que por vezes não lhe será fácil acreditar no mundo e nas pessoas que o rodeiam! Mas Deus será sempre mais forte!

    ResponderEliminar
  3. "Sentir"...coração e olhar profundo, palavras que nos revelam um coração com muito amor,com Jesus Cristo em Sua vida ,nos vai conquistando e levando para o "Caminho de Deus".
    "Sentir"palavra com muita profundidade, que nos leva ao sentimento,à vida que Deus nos deu com tanto amor,nos faz vaguear nosso pensamento

    ResponderEliminar
  4. A única Lei que importa é a do Amor! Não existe nenhuma outra maneira de atingirmos a nossa paz interna a não ser pela expressão do Amor Incondicional.
    E o que significa este Amor Incondicional? É tão divino que o humano tem
    dificuldade até na compreensão desta expressão. é o caminhar na vida
    levando compaixão, compreensão, perdão, tolerância, desapego... dar
    valor ao que realmente tem valor, é não ficar preso a palavras, gestos,
    factos, eventos, situações emocionais; é relevar com compaixão as mágoas,
    as injustiças, as decepções vividas no nosso quotidiano... é compreender
    que tudo isto é muito pequeno comparado com a grandeza da alma, com a
    grandeza da vida.
    É caminharmos fazendo a nossa parte, amando ao próximo como a nós
    mesmos, entregando a Deus, à vida, todas as situações conflituantes,
    dolorosas, que momentaneamente possamos estar incapacitados para darmos a
    melhor solução, a resposta mais adequada.
    É a certeza de que tudo na Terra é ilusório, passageiro, transitório. é só uma pequena viagem.
    Há que manter sempre na nossa mente, no nosso espírito, a visualização da
    nossa grande meta, que é o amadurecimento da nossa alma, o atingirmos a
    consciência maior, a lucidez da vida... e é isto, somente isto que
    verdadeiramente importa.
    Com esta visão, com esta postura, caminhamos com leveza, com soltura,
    com alegria, com aceitação e tolerância... pois as emoções são ilusões, a
    dor é ilusão, a caminhada terrena é ilusão, o humano é ilusão... Deus é
    Real. O Divino é Real. A Consciência é Real. O Espiritual é Real. A
    Morte é ilusão do ego mas é Real, pois é a passagem para o Plano Real.
    Amar incondicionalmente é amar além, apesar das ilusões, é amar sem
    esperar retorno.
    E estou certa que com esta forma de amar, o Mundo, a Igreja, que somos nós, estamos a caminhar para o coração de Deus.

    Amélia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na vida tudo é uma ilusão,até a própria vida,mas a ilusão faz parte da vida,uma vida sem ilusão,é desprovida de confiança,confiança nos outros,na vida,se à partida,nós fossemos com os pés assentes na terra para tudo,se calhar não fazíamos nada,porque a ilusão e o coração comanda tudo,todos temos um pouco de ilusão,em alguém,em algo,na vida,na doença...nem por isso amo menos a DEUS,pelo contrário a minha LHE pertence

      Eliminar
  5. Como o olhar do coração pode preencher a nossa vida. E é esse mesmo olhar interior que o Pe. António nos vai ensinando a valorizar. Pequenas coisas podem mesmo tornar-se grandes, sagradas, se soubermos nelas ver o próprio Deus. Que bom podermos aprender a grandeza dos sentimentos, a beleza dos afectos e a nobreza dos pequenos gestos.

    ResponderEliminar
  6. “...Porque o vosso sorriso me faz sorrir.
    Porque o vosso amor me faz acreditar que caminho na direcção certa e o destino que busco é o Coração de Deus, ou seja, o Amor definitivo que se vai traduzindo e revelando na fragilidade e beleza do amor humano.”

    Palavras, pensamentos lindos, que nos dizem tudo ou, quase tudo. No fundo, um agradecimento a todos aqueles que lhe dão força, que o ajudam na sua caminhada (por vezes bem complicada), que enchem aquela Igreja de Carcavelos e que enchem o seu coração de padre.
    Eu viraria tudo ao contrário e diria: nós é que temos que agradecer a um certo Jesus que preparou um bonito caminho e fez com que o padre António aos 18 anos tivesse que passar por aquela praça em Lisboa e ficasse tocado por João Paulo II. Um toque milagroso que o fez entender qual a razão pela qual milhares de pessoas, milhares de jovens estavam ali e ele não. O milagre do toque, a beleza do encontro e a ligação a Cristo, ao Pai, que transformou para sempre o seu coração. Daria para acrescentar uma frase que eu considero bela e que todos conhecemos: “Seduziste-me Senhor e eu deixei-me seduzir...”
    Por estas razões, este agradecimento muito bonito em forma de pensamento do Pe. António, faz-me lembrar muita coisa, faz-me lembrar que eu também fui tocada e também eu me converti e hoje arrepia-me (no bom sentido) pensar na humildade deste homem de Deus. Temos muitos homens de Deus. Necessitávamos de ter muito mais. E temos poucos homens que nos conseguem ´agarrar´. ´Agarrar´ com o seu dom de palavra, com a sua garra, com a sua força, e principalmente com a sua fé.
    E ao pensar em tudo isto, ao lembrar-me de homilias lindas que já ouvi, a momentos lindos de oração e fé que já vivi...posso afirmar que, embora já conheça o Pe. António há uns anos largos, embora tivesse estado presente na tomada de posse no Estoril, ele (para mim) está sempre e ficará sempre ligado áquela homenagem, áquela adoração a Nossa Senhora, no dia da sua tomada de posse como Prior de Carcavelos. Arrepiei-me, comovi-me e sempre que leio so seus pensamentos (embora os ache lindíssimos), penso que aquele...ajoelhar perante a imagem de N.Senhora, aquelas palavras, mais do que sentidas, foram o ´toque´ mais bonito, foi uma homenagem lindíssima que, por muito que eu não queira, terei sempre me lembrar.
    Por tudo isto, nós é que lhe temos que agradecer, nós é que temos que dar graças a Deus.
    Carcavelos, felizmente, já teve a humildade de reconhecer o bom que é ter um padre que nos ´chama´ e nos ajuda a crescer na fé, a crescer como verdadeireiros filhos do mesmo Pai.
    Nós rezamos e pedimos a Deus que o seu sorriso nos continue a fazer sorrir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo o que aqui está escrito,são palavras que na verdade eu gostaria de escrever e muitas vezes,é difícil exteriorizar o que o coração sente para um teclado.
      Só à uma coisa, é ser em Carcavelos,já foi no Estoril,mas passou muito depressa... 5 anos voaram,e nós pensávamos que o tempo era eterno...mas não foi...por isso não desperdicem o tempo...o tempo urge...passa muito rápido.

      Eliminar
  7. É verdade, o silêncio diz tudo aquilo que nós queremos dizer,ou porque não conseguimos, ou porque as palavras são demais...quando as pessoas se entendem e os corações ficam em sintonia, uma palavra pode ser um dicionário,contendo todas as palavras...porque entre as pessoas à o Espírito de Deus que nos faz amar os outros,nos dá amor à nossa vida.
    Pe.António,bem haja por tudo,pelo amor que transparece ,por Cristo,por nós com Sua vida.É um Dom de Deus nos dar um «Pastor» como o Pe, António.

    ResponderEliminar
  8. um Grande sentir... ao jeito de Jesus...

    ResponderEliminar
  9. Hermana Glenda nos diz:
    Qien Ha encontrado un amigo ha encontrado un tesoro ý yo to he encontrado a Ti...
    Yo contigo aprendi a vender mi egoisnmo,yo contigo aprendi a no pensar em mi mesmo...
    Po ti encontri a Dios ma mi vida...

    É parte da letra da canção,que gosto e me faz pensar...

    ResponderEliminar
  10. Esta homilia da missa das 19 de hoje, Domingo, foi lindíssima.
    As palavras disseram quase tudo o que nós precisamos sempre de ouvir, porque somos humanos, não somos perfeitos, temos as nossas imperfeições e há palavras, há frases que, pela sua verdade, pela sua força, fazem eco dentro do nosso coração. Esta homilia deixou um rasto que trouxemos para casa, para meditar, para podermos rezar ´ao som´ dessas palavras, dessa força que o Pe. António nos transmitiu.
    O acreditar, tem muita força. Quando nós vamos à missa, não por ser um hábito; quando rezamos porque necessitamos, porque temos ´fome´ de Deus; quando somos como que...empurrados a ir à igreja rezar...Isto é tão bom, mas tão bom, que me faz deixar-vos com este pensamento:
    Há muitos cristãos sem cruz e sem calvário. Nós somos (tentamos ser) cristãos com cruz e com calvário. E isto é uma das verdades que deve ´viver´ sempre dentro de nós: Cristãos com cruz e com calvário...Foi alguém que um dia disse esta frase e eu nunca mais me esqueci, e é isto que eu tento ser hoje, em cada dia, todos os dias.
    Rezemos por esses cristãos e peçamos ao Senhor que saibamos sempre ser de Cristo e estarmos sempre com Cristo.

    ResponderEliminar
  11. Tocar em Cristo,tocar em Cristo
    É o que preciso urgente fazer
    Distante Dele é tão sofrida a minha vida
    mas vou a ELE sim
    e Nele tocarei
    e sararei

    Mas é preciso além de querer
    também ter fé
    que um milagre haverá
    E aquela velha maneira de ser
    vai logo ceder,pois logo virá.

    Assim espero, que hoje a Vossa noite de Oração comunitária,seja um "tocar",um Sentir", um arrebatar de corações, prontos a "tocar" e a se deixarem "tocar" por Jesus Cristo.
    Para que assim a humildade prevaleça em nossas vidas, levando-nos mais a pensar nos outros e pensando nos outros também pensamos em nós,existe em tudo o retorno.

    ResponderEliminar
  12. "Demorei-me a recordar momentos que fazem a vossa história e, por isso, a minha história.
    Demorei-me a viajar na memória porque sabia que o coração palpitaria com outro pulsar.
    E quero, dia após dia, ser discreto companheiro de viagem, mão que se pode e quer oferecer, coração que saiba acolher e sonhar, alma e vida que se completam porque entrecruzadas com as vossas..."

    Um grande beijinho,
    Afilhada Fixe

    ResponderEliminar
  13. "Chamei-te pelo teu nome"
    Um tema que me toca especialmente,que nos faz sentir amados e amar,não tem explicação quando o nosso nome é pronunciado,acredite,é algo que nos soa no coração, como se a pessoa nos tivesse próxima e desde logo à uma aproximação e uma maior cumplicidade.
    Padre António, Bem haja que a Peregrinação vos inunde de Jesus,que o vosso coração venha cheio da SUA Graça.
    Que o percurso até lá, seja de harmonia e amor.
    Rezarei por vós,e vos seguirei até onde o Pe. António me levar com o SEU Partilhar

    ResponderEliminar
  14. Gestos de sentir,de protecção,comunhão,gratidão,amizade,sentimentos e de nos sentirmos todos unidos,gestos que o coração comanda e a razão esquecida...vontade de participar e não poder...tanta coisa...
    Pe António Bem haja

    ResponderEliminar
  15. Pe. António
    Sinto-me muito feliz ao abrir o blogue verificar o quanto as pessoas o estimam,aderem,vou dizer um pecado,mas vou dizer baixinho,até tenho um pouquinho de...que palavra vou aplicar? não sei!vou dizer saudade...que é a verdade,saudade,«Olá jovem» de rezar o terço no Paredão,de ver a Igreja cheia de jovens e adultos também,Noites Comunitárias,e em especial da Palavra de Deus,pelas Suas Palavras,e de Si Pe. António, que com Sua entrega nos trazia Jesus.

    ResponderEliminar

Web Analytics