sexta-feira, 3 de agosto de 2012

"A caminho de Santiago..."

Por estes dias aproveito para uma "pausa" nas "lides" naturais, "normais" dos múltiplos serviços pastorais...
"Férias" são quase uma palavra mágica neste momento do caminhar...
Mas, simultaneamente, há uma Peregrinação de jovens a pé pelos caminhos de Santiago a preparar com tudo o que isso implica; há um projecto "gigante" diante de nós que urge organizar a fim deste ser algo de sério, profundo e marcante para quantos se inscreveram nesta aventura que se vislumbra já no horizonte...


Significa isto que as "férias" serão sobretudo este tempo de preparação do Caminho a Santiago. Uma peregrinação, que como se percebe, implica esforços de organização, tempo e dedicação a fim de que o "abraço" ao Apóstolo, na catedral de Compostela, seja um gesto sentido, vivido, desejado, amado, marcado pela fé...
Uma preparação que tem de estar, desde já, assente - e bem - nos alicerces da oração e da entrega abandonada; uma preparação que, desde o primeiro momento, implica acolher e viver como acto de amor e de louvor, como vivência de paixão e de oblação Àquele que é o Senhor de todas as coisas.
Porquê uma peregrinação a Santiago de Compostela logo na primeira semana de Setembro?
Simplesmente porque essa bem pode ser uma experiência que pautará o início do Ano Pastoral no trabalho a desenvolver com os jovens da Paróquia.
Porque a "porta da fé" que a Igreja é desafiada a celebrar no próximo Ano Pastoral pode e deve ser ultrapassada com a dinâmica do "caminho", do "desafio", da "aventura", do "esforço", da "novidade", num combate assumido contra a letargia e a rotina, numa luta consciente contra a habituação e esse perigosíssimo "slogan" que é o "sempre foi assim"!!!
Serão, portanto, umas férias diferentes as minhas este ano; com alguns jovens, dedicaremos o nosso tempo a preparar esse Caminho a percorrer entre os dias 1 e 7 de Setembro.
Serão férias com os traços do serviço, as marcas da dedicação.
Férias onde se alteram a "geografia do espaço" mas permanece aquela outra bem maior, como afirma o Santo Padre: "a geografia do coração", que não se altera nem transforma quando é a fé, o amor, a guiar cada passo, cada momento, cada dia, do nosso próprio viver.
Quero pedir a quantos lêem estas palavras que façam vossa esta Peregrinação. Que a tenham na vossa oração, na vossa Eucaristia, na vossa Comunhão.
Que esta preparação seja solidificada com a força da vossa intercessão, das vossas preces erguidas ao Céu...

9 comentários:

  1. Pe. António
    Foi com grande emoção que li todo este partilhar de um coração que não poderia ser de outro modo, todo de Deus.
    Farei com todo o amor esta Peregrinação convosco em oração,na Eucaristia,na Comunhão simplesmente com Deus, de mãos vazias vos entregarei à Sua proteção, para que os vossos corações,os vossos lábios nunca digam "Sempre foi assim" eu quando ouço me magoa imenso,e digam sim," Não sou eu que vivo,é Cristo que vive em mim".
    Pe. António bem-haja por toda a Sua entrega
    beijinho amigo,bom trabalho,boas semi-férias com Cristo

    ResponderEliminar
  2. Não faz sentido dizer: "que Deus vos acompanhe"...porque essa é a única certeza que todos temos. Mas, é um momento para desejar que o "seu pé não o traia"! Por favor...tenha cuidado. Nosso Senhor não o pode ajudar se não der "um jeito" daqueles que têm a ver com ter cuidado consigo!Nada disso é incompatível com a "geografia do coração" que tão bem lhe fica!
    Faça favor de ter umas boas férias tal qual as escolheu e de voltar revigorado para o novo ano que se aproxima.
    Um abraço cá de casa.
    L&FZ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  3. "geografia do coração" é aquela que no nosso coração está muito mais presente e tem um maior significado,muito mais que a "Geografia do espaço" espaço é lugar,lugar é frio e pode ser um qualquer.
    Coração é sentimento,é amizade,é preocupação,é estar longe e bem perto,o coração é um órgão que bate,sem parar,que sente,que nos faz viver,viver sempre mais,que nos faz sentir, exprimir sentimentos...por tudo isto Pe. António Seu coração bate não pelas férias, mas sim por Jesus,por transmitir essa Fé avassaladora de que é portador.
    Bem haja

    ResponderEliminar
  4. “...O pão de Deus, é o que desce do Céu, para dar a vida ao Mundo...”, diz-nos Jesus no Evengelho de S.João. E é em busca deste Pão que nós vamos. Uns de uma maneira...outros de outra. E é de louvar o facto de haver peregrinações, haver jovens que se disponibilizam, que se entreajudam. Preparar o Caminho, é muito mais do que...é dar-nos, é entregarmo-nos a um Cristo em quem dizemos acreditar (e em quem acreditamos). Benditos sejam aqueles que lutam e vão mais além de celebrar uma simples Eucaristia (simples, mas sempre ´rica´). Vão em busca de outros horizontes e ajudam todos aqueles que precisam de encontram ou continuar a buscar o Caminho de Deus.
    Rezamos por vocês. Rezamos por si Pe. António, porque os sacerdotes são a ´ponte´ que nos ajuda a chegar mais perto do ´Céu´, mais perto de Cristo. E o Padre António é o exemplo disso, dessa ´ponte´. Há coisas que não se explicam, só se sentem. E esse sentir é uma bênção para cada um de nós. Estive de férias, e senti muito a falta de assistir a uma eucaristia e sair de lá com a alma cheia. Estar de férias é bom, mas também é bom quando sentimos que há coisas das quais sentimos falta. E isso mostra-nos que os nossos ´passos´ (interiores) são os correctos. O sentir falta de mais...é a fé, é a nossa fé que nos chama, que nos sacode.
    O pão de Deus, é mesmo aquele que desce do Céu e vai continuar a dar vida ao Mundo, vai continuar a dar vida a Carcavelos, a um Carcavelos bastante adormecido, e que acordou para uma nova vida, para uma nova missão.
    Lembro-me há uns meses, de uma Noite de Oração, em que nós tinhamos que atar as cordas com nós, para estarmos interligamos. As cordas ficaram na igreja....mas nós continuamos a ser essa força, hoje e sempre.
    R.A.

    ResponderEliminar
  5. De facto quando se ama, o coração não pode fechar-se ao amado. Por isso mesmo percebemos todos que as suas férias pe. António serão sempre essa sua presença e preocupação com a paróquia pela qual dá a sua vida. Acabado de sair de uma "aventura" como lhe chamou e que tantas maravilhas fez aos nossos filhos e já se "está a meter" noutra para que o espírito criado não esmoreça. Como não agradecer perante testemunhos assim?
    Que as suas férias sejam reconfortantes e revigorem a sua capacidade de entrega. Se os nossos filhos o olham como alguém especial, acredite que nós os pais, os mais velhos, o olhamos com muito carinho e gratidão.

    ResponderEliminar
  6. Rezei,rezo, e continuarei a rezar por todos vós ,para que vossos corações se encham da força do Espírito Santo,e tragam uns corações fortes para amar,aproveitem a presença do Pe. António que Deus vos concedeu, que dá toda a Sua vida e trabalho, para que a vossa FÉ saia revigorada.

    ResponderEliminar
  7. "Peregrino onde vais
    Se não sabes por onde ir
    Peregrino tens um caminho a descobrir
    Se o deserto do teu viver
    Dificulta a decisão,
    Quem te guia e encoraja
    Na solidão

    É só ELE o meu Deus
    Que me dá força e luz
    É só ELE o meu Deus
    Que me conduz.

    Uma música com uma letra que nos leve a Jesus,quantas vezes estar com Jesus também é ouvir uma música que nos fale D`Ele,que nos faz sentir mais perto,nos enche a alma.

    ResponderEliminar

Web Analytics