sábado, 17 de dezembro de 2011

"Uma semana..."

Uma semana, sensivelmente, nos separa daquela Noite que se tornaria mais brilhante que o sol; nove dias são a distância que importa percorrer de coração ousado, de alma decidida, de vida confiada, a fim de nos deixarmos envolver pelo mistério que percorre a História há tantos e tantos séculos...
Quando menos esperarmos, deparar-nos-emos com aquela Noite Santíssima em que nos será entregue um Menino que é, de facto, de verdade, o Salvador.
Natal é sempre a possibilidade de um encontro; é a oportunidade de repensar a vida que vivemos, as opções que nos movem, os sonhos que nos comandam, os valores em que acreditamos, os horizontes em que nos envolvemos. Natal é essa novidade permanente e dinâmica que emerge em cada tempo, para cada homem, a fim de nos predispormos, ou não, a ser protagonistas desse dom e mistério que será sempre a Encarnação de Deus.
Na verdade, podemos ser «parte» do Presépio; podemos ser intervenientes activos desse acontecimento inolvidável que marca o ritmo do tempo e da História. Podemos, se quisermos, ultrapassar essa postura passiva, acomodada, deprimente até, de olharmos o Natal como uma realidade exterior a nós, sem a decisão do compromisso de o fazer nosso, de o tornar parte de nós, de o assumirmos como realidade pessoal, com os traços e as marcas da nossa própria existência!
Sim, posso ser Presépio. Posso ser parte desse todo imenso e infinito que é o Presépio. Posso ser «figura» derradeira e insubstituível dessa graça divina que é o Natal de Jesus.
Diante da semana que havemos de viver até à celebração do Natal, temos de optar, de decidir, de escolher, se queremos, ou não, ser Natal, ser Presépio, ser Paz, ser Glória, ser Bênção, para demasiados corações distraídos e enganados sobre o que significa verdadeiramente Natal!
Jamais conseguirei encarnar em mim a simplicidade e a fé, a disponibilidade e a confiança de Maria ou de José!
Nunca imitarei a ousadia e a coragem, a predisposição e a firmeza dos Magos do Oriente que, deixando as suas «terras», as suas certezas e verdades, avançam destemidos por caminhos desconhecidos guiados por uma estrela!
Ser-me-á sempre impossível a humildade e a entrega, o abandono e a despojamento dos Pastores que acolhem o desafio que o Céu lhe envia!
Então, diante deste «cenário», que figura, que protagonismo, que relevância, posso experienciar como vivente do mistério do Presépio?
Posso ser «peça» única e derradeira. Posso ser uma palha seca onde O menino repousa. Posso ser esse pano, mesmo velho, ainda que roto, talvez sujo, onde o Emanuel é envolto, acolhido e aquecido, no colo de Sua Mãe.
Sim, posso ser essa «palhinha» discreta e quase invisível, esse pano envelhecido e gasto, mas que foram precisos para que o Natao fosse a mais feliz das realidades, a mais bela Boa Nova alguma vez anunciada à Humanidade.
Diante de nós, uma semana para nos despojarmos dos imensos «lixos» que impedem o meu coração de ser gruta do Nascimento; uma semana para me desfazer de orgulhos e vaidades, de mentiras e hipocrisias, de intolerâncias e mesquinhez, de avarezas e presunções, de cinismos e de auto-suficiências, de invejas e ciúmes doentios...
Uma semana para, diante de um recolhimento urgente, de uma intimidade libertadora, de uma oração verdadeira, de um silêncio purificador, de um seguimento abnegado, de uma postura transparente, de palavras proferidas com a marcas da ternura, me transfigurar em «palha» e «pano» onde o Menino pode repousar, onde Deus encontra lugar, onde a Vida consegue irromper com o esplendor da verdade que foge ao coração do homem, ao seio da Igreja...
Uma semana... tempo suficiente para ser protagonista do Natal mais belo do mundo e da Igreja que sou, que somos...

12 comentários:

  1. "Uma semana"
    Uma semana,para receber,para acolher Jesus,mas acredite, ELE todo o ano está dentro do meu coração...e me faz levantar todos os dias,enchendo o meu coração de amor e vitalidade para viver e esquecer egoísmos, e tudo o que o mundo nos apresenta demasiado fácil e enganador.
    Padre António,bem haja uma boa noite.

    ResponderEliminar
  2. A excelente
    meditação com que o Senhor Prior nos presenteou hoje faz eco em mim em duas necessidades prementes: O Silência e a Interioridade como forma de abrir na sua totalidade, o canal para Deus. Só nesse silêncio interior, dirigido às coisas do Alto, é possível ouvir o que o Senhor tem para nos dizer. Também só o silência permite a contemplação, o exame de consicência, a oração dirigida ao Pai.
    O local por excelência onde gosto de praticar esse silêncio, é na Igreja, em frente ao Sacrário. A Igreja é para mim um local Santo, a casa onde habita o Senhor, presente em todos os sacrários da Terra.
    Por ser assim, e sempre que posso, gosto de estar algum tempo rezando, meditando, estudando, ou simplesmente contemplando o Senhor, antes da Eucaristia.
    Esta atitude que reitero há anos, vem sendo nesta Paróquia e com alguma regularidade, prejudicada, perturbada, pelo ruido e conversa de pessoas que servem a Igreja e utilizam esse tempo anterior à Eucaristia para conversar. Não sei, nem me interessa saber se falam de serviço, se falam dos outros - se for de mim, sei coisas terríveis a meu respeito que vos posso contar...seja o que for. Sei que existem no espaço paroquial locais próprios, passíveis de serem utilizados para conversar, sem perturbar a interioridade de quem quer estar com o Pai do Céu, em silêncio. Porque preciso desse silêncio, porque é naquele local em particular que alimento o meu espirito apelo à fraternidade cristã, no sentido de que a Igreja seja um local de culto, apenas. Eu própria tudo farei para respeitar o silêncio e interioridade de cada outro. Nesta semana em particular, é um presente que dou a Jesus Cristo, presente no coração dos irmãos e prestes a revelar-se ao Mundo, naquela pequena Gruta de Belém.

    Amélia

    ResponderEliminar
  3. Só desejo que toda a azáfama que se verifica este ano,seja unicamente para receber Jesus em seus corações,esquecendo tanta coisa que em nós não nos torna diferentes, de tantas outras pessoas que não vão à casa de Jesus.Temos esse dever de amar mais e mais e mostrar Jesus.
    Li um artigo que dizia em que os jovens estavam fartos de ver crentes a recitar preces a assistir a ofícios religiosos a pregar moral,mas incoerentes com eles próprios,não dando amor...e penso muitas vezes nisso e isso entristece-me muito ver que eles muitas vezes tem razão,com as suas mentes abertas, conseguem mais que nós,que nos perdemos em pequeninos detalhes...que nada tem a ver com amor e dádiva

    ResponderEliminar
  4. Não é por estarmos no Advento. O que alguém desabafou é o que eu sinto na Igreja de Carcavelos: não há respeito quando se entra na igreja. Não páram de falar e não consegue haver silêncio. Mas isso não acontece só antes da Eucarista, acontece quando muitas vezes vou à igreja rezar, durante a semana. Pessoas da igreja, falam umas com as outras, como se ali não tivesse que se fazer silêncio. O que desfarça é a música de fundo, de outro jeito, seria impossível concentrarmo-nos. Como alguém disse: que falam na altura da homilia. É inacreditável. Eu já senti isso, já vi, e principalmente por parte dos catequistas da paróquia, que falam durante a homilia e depois acabam a mandar calar as crianças.
    Numas homilias tão ricas como as do Pe. António (e mesmo que fosse outro padre) é uma falta de respeito.
    O nosso Prior necessita de estímulo, de força e de ter gente que está ali com ´fome´ de Deus.
    O Padre António foi colocado nesta igreja, pois Deus sabia o quanto ela estava de rastos. Ainda há muita coisa para fazer, embora muita coisa já tenha sido feita. Mas tem de ser feita com muita ajuda, espírito fraterno. Não com olhos postos no mal.
    Um dia destes ouvi alguém dizer que havia pessoas que não estavam nada contentes com a vinda do Padre António. Que lindo ! Não estão contentes ? Porquê ? Porque ele diz as verdades ? Porque ele dá (indirectamente) uns valentes puxões de orelha nas suas homilías ? Eu não enfio a carapuça quando ouço isso, não me toca ! A minha consciência está limpa nesse aspecto.
    Mas, para essas pessoas, a resposta é: a igreja cheia. Porque será ????
    O Padre António era o sacerdote que Carcavelos precisava. Contra tudo e contra todos.
    E agora, que estamos na nossa preparação para o Natal, seria bom louvarmos o padre que temos e ajudá-lo para que faça cada vez melhor. Deixarmos de ser cretinos e hipócritas. Afinal, é para isso que vamos à missa ?
    Se todos ajudarmos um pouco, Carcavelos ainda vai dar muito que falar na Linha, e não é pela parte negativa.
    Sejamos humanos. Ouçamos a palavra de Deus e, se achamos que não estamos ali por Deus, pensemos bem se, quando saímos a porta da igreja, devemos voltar.
    Ao padre António só tenho uma palavra: OBRIGADA ! Continue a fazer este magnífico trabalho, sempre atento às suas costas....

    ResponderEliminar
  5. Padre António
    Não podia chegar ao nascimento de Jesus, sem ouvir as Suas Palavras,o Evangelho nos dado com amor,nos desinstalando,nos provocando,mas ao mesmo tempo nos levando a meditar e a caminhar para Jesus com o coração leve, ciente de só amando como ELE amou,nós podemos encontrar o Seu caminho.
    bem Haja por ser como é,onde transparece um ponto de Luz que nos passa e « deita fogo» em nossos corações, de amor a Jesus.
    Parabéns Carcavelos, sinto uma Paróquia feliz.

    ResponderEliminar
  6. Padre António, continue sempre assim a evangelizar,a nos desinstalar,a dizer sem medo,sem querer, agradar a ninguém, a Palavra de Deus,da Vida,nós só amamos verdadeiramente,honestamente os outros com verdade,com entrega,de outro modo é ser igual a tantos,falar para agradar à sempre um dia que desiludimos,por isso só a verdade nos leva a DEUS,força Padre António em Carcavelos,no Estoril, ou noutro lado qualquer seja sempre o Padre António, o discípulo de jesus Cristo,que eu conheci ,que me levou a amar JESUS com todo o meu coração e vida.
    Bem haja resto de um bom dia,beijinho amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pe. António
      Mais um ano se passou,onde nos interrogamos o que mudou em nós na nossa vida?um pergunta que todos devemos fazer a nós próprios se na realidade fomos mais de Deus, ou se nossa vida ficou na mesma presa ao superficial.Eu digo cada dia que passa mais sou de Deus,mais penso no Natal como um acontecimento maravilhosos de todos os dias.

      Eliminar
  7. vem, Senhor Jesus... ao meu coração!

    ResponderEliminar
  8. Oração diante do presépio

    Menino das palhas, Menino Jesus,
    Menino de Maria, aqui estou diante de ti.
    Tu vieste de mansinho, na calada da noite,
    ... no silêncio das coisas que não fazem ruído.
    Tu é o Menino amável e santíssimo,
    deitado nas palhas porque não havia lugar
    para ti nas casas dos homens
    tão ocupados e tão cheios de si.

    Dá a meus lábios a doçura do mel
    e à minha voz o brilho do cantar da cotovia,
    para dizer que vieste encher de sentido
    os dias de minha vida.

    Não estou mais só: tu és o nosso companheiro
    de minha vida. Tu choras as minhas lágrimas
    e tu te alegras com minhas alegrias
    porque tu és meu irmão.

    Tu vieste te instalar feito um posseiro
    dentro de mim e não quero que teu lugar
    seja ocupado pelo egoísmo que me mata
    e me aniquila, pelo orgulho que sobe à cabeça,
    pelo desespero.

    Sei, Menino de Maria, que a partir de agora,
    não há mais razão para desesperar
    porque Deus grande, belo,
    Deus magnífico e altíssimo
    se tornou meu irmão.

    Santa Maria, Mãe do Senhor e Palácio de Deus,
    tu estás perto do Menino que envolves
    em paninhos quentes.

    José, bom José, carpiteiro de mãos duras,
    e guarda de meu Menino das Palhas,
    protege esse Deus que se tornou
    mendigo de nosso amor.

    Menino Jesus,
    Hoje é festa de claridade e dia de luz.
    Tu nasceste para os homens na terra de Belém.

    Autor desconhecido

    Aguardando a chegada do Menino

    Amélia

    ResponderEliminar
  9. Sr Prior, à dois anos dizia-nos assim:
    "Passos, simples,pequenos,ténues mas que decididos nos «atiram»para o Mistério e nos envolvem num manto de Graça que nos liberta e vivifica profunda e derradeiramente.
    «Passos»,apenas«passo» rumo a Belém,ao Presépio.
    enquanto é tempo...".
    E na verdade faltam uns pequenos passos para receber Jesus no nosso Presépio,no de cada um de nós.

    ResponderEliminar
  10. Ao ler o antepenultimo comentário entendo agora a razão pela qual Deus Nosso Senhor "nos tirou" o Padre António do Estoril. Pelos vistos a sua Missão no Estoril estava terminada, e pelo que leio Carcavelos estava a precisar de si Padre António. Um Santo Natal cheio de saudades, mas aliviado por saber que está a fazer o que Deus Nosso Senhor quer que faça.

    Peço a Deus que o tenha sempre na Sua Santa Guarda

    ResponderEliminar
  11. posso ser coração escancarado... se eu quiser...

    ResponderEliminar

Web Analytics